Ocupado demais para fazer visitas e participar de seminários [ parte 1]

Muitas vezes a falta de comparação nos faz pensar que somos suficientemente bons. Esse é um dos motivos que justificam a prática do Benchmarking, técnica que consiste em um processo contínuo e sistemático de comparação da performance das organizações em suas respectivas funções ou processos, em face do que possa ser considerado referência no tema de interesse. A título de exemplo, esses tópicos podem ser: qualidade, produtividade, custos de produção, total cicle time(ciclo total de produção de um determinado produto), índice de refugo, giro de estoques, desempenho logístico, entre outros. A adoção desta prática visa não apenas a equiparação dos níveis de desempenho considerados padrão, mas também a sua ultrapassagem. A curiosidade histórica do termo vem das marcas(“marks”) que os viajantes deixavam nos bancos (“bench”) de descanso para indicar a que distância estavam de Roma (a referência).

Ler post completo

Maximização da Qualidade: uma questão de crenças e valores

Dada a tradição na qual muitos gestores foram formados, quando se fala em melhoria de resultados há uma tendência a enxergar como alternativa única o monitoramento contínuo das atitudes da força de trabalho, seguida de posturas mais ou menos rígidas quanto ao acompanhamento de metas. O enfoque tem sido de modo geral técnico, ou seja, as ações são conduzidas pela idéia de que os trabalhadores devem agir conforme o que foi pré-estabelecido pelo pessoal encarregado do planejamento e da gestão.

Ler post completo

Quase tudo na vida é uma questão de foco…

“Quase tudo na vida é uma questão de foco, basta concentrar energia em um determinado objetivo. Faz-se uma escolha e dá-se a ela toda  prioridade. Tudo passa a ser menos importante do que o objeto de desejo, aquele cargo, aquele carro, aquela casa, naquele condomínio, aquele título, aquela posição social. Deste modo e sob este regime, quase tudo é possível, a única dúvida é quanto a felicidade, pois essa, nem sempre vem no mesmo pacote”

 

Ler post completo

Vender não consiste em apenas negociar um pedido

Mais do que isso, é a somatória de um conjunto de elementos que promovem a interação entre a empresa e seus respectivos clientes; entre estes elementos podemos citar os produtos, as campanhas promocionais, as propagandas, todo o material informativo como catálogos e manuais, websites, e-mail marketing, letreiros e luminosos, cartazes, outdoors, cartas comerciais, propostas, projetos, convites, cartões de natal, agendas, cartões de visita, as feiras, os brindes, os seminários e simpósios, a rede de distribuidores, a assistência técnica, os treinamentos e palestras, a logística, a disponibilidade de estoques, as entregas, a política de preços e condições de pagamento e por último o mais importante elemento do composto de marketing que é o vendedor, o especialista na aplicação dos produtos e serviços de uma determinada empresa.

Ler post completo

O tempo e a vivência…

O tempo e a vivência têm nos mostrado que a todo evento corresponde uma explicação e quando não a encontramos  tendemos ao mito, pois para tudo há de haver uma resposta, ainda que insustentável.

Quando a verdade aflora nos custa acreditar e então nos perguntamos: Por quê?

Uma parte se explica pela natureza do universo e a outra pela natureza do homem.

Ler post completo

O Vendedor industrial em face do tempo e da inovação

O tempo é um fator crítico e um recurso não renovável como todos sabemos, por isso, é muito importante planejá-lo.

Onde, de que forma, com qual tipo de abordagem, quando, com quem, em busca de quais resultados, com que propósitos, por quanto tempo, a que custo, levando em conta quais circunstâncias, sendo inovador no quê e contando com quais recursos, um vendedor industrial deve investir seu respectivo tempo?

Ler post completo

Propósito de vida

A motivação é o combustível das grandes realizações . É comum pessoas motivadas realizarem muito mais do que fariam se estivessem apáticas. Especialistas afirmam que a motivação é algo interno a cada indivíduo e para que ela ocorra é necessário criar ambientes ou expor tais pessoas a eventos e contextos que as levem a encontrar novas perspectivas para suas próprias vidas.

Ler post completo

A vida e o seu oposto

lavoisierLi certa vez que o oposto da vida não é a morte, mas o medo. O medo de arriscar, o medo de ousar, o medo de parecer ridículo, o medo de tomar para si o que, por merecimento, não nos caiba, o medo de perder, o medo de falhar, o medo de ser julgado, o medo de ser condenado pelos homens ou, pior ainda, por Deus.

Quantos líderes, atores, músicos, pintores, dançarinos, escritores, cientistas, gênios em potencial, quantos êxitos e prazeres não são sufocados, em seu próprio nascedouro, pelo medo que temos, de transgredir a linha tênue do equilíbrio entre o desejo e a responsabilidade, entre a genialidade e a loucura, entre o respeito e a covardia, entre a realidade e o conformismo, ainda que não tenhamos certeza de que nosso juízo de valor esteja, de fato, alinhado com o que poderia ser tomado por realidade?

É muito difícil abrir mão do orgulho pessoal, consolidado ao longo de anos, em favor de um sonho que tememos ser apenas uma ilusão, ainda que tal orgulho esteja abaixo de nossas reais possibilidades e aspirações mais íntimas.

Para compensar esta situação, contentamo-nos com realizações virtuais, obtidas por intermédio de sensações paralelas, captadas por nossos sentimentos, quando nos colocamos na pele dos heróis que encontramos em livros, filmes e novelas e sobre os quais projetamos nossas fustrações e, por meio dos quais, alcançamos nossa temporária sensação de realização e liberdade. Um suspiro de prazer que em geral se esvai no cotidiano real e implacável de cada segunda feira.

Conformamo-nos em seguir a trilha do razoável, pois este não costuma expor as entranhas das nossas ilusões e desejos mais íntimos e nem põe em risco a segurança que sentimos por estar entre uma maioria que pensa de igual maneira.

Se pudermos concordar com este pensamento, caberia então a cada um de nós, na medida em que evoluímos no conhecimento da nossa própria natureza, uma busca progressiva e contínua, para efetuarmos a promoção daquilo que somos àquilo que temos plenas condições de ser.

Ocorre que esta busca pode incorrer em mudanças, apostas e novas escolhas, mais facilmente compreendidas, por aqueles que já sofreram a metamorfose, imposta pelo inconformismo, de quem acredita que só há uma vida para ser vivida e que, por esta razão, não se pode abrir mão de vivê-la plenamente.

Por este motivo, disponho-me a escrever neste Blog, como um apaixonado, um amante da liberdade e o convido a fazer parte dessa viagem que é elevar-se até o ponto em que seja justo sermos chamados Homo Sapiens.

Se for do seu gosto, me escreva: marcondes@cimm.com.br e muito obrigado pela visita.

Ler post completo