Tag: Etica

Tudo é nada, quando falta o essencial!

popopopo

Por maior que seja a tua fortuna, por elevada que seja a tua patente, por eminentes que sejam os teus prodígios, por sublimes que sejam os teus méritos, por insigne que seja a tua bravura, por inigualáveis que sejam as tuas vitórias, por maravilhosas que sejam as tuas conquistas, por magníficas que sejam as tuas realizações, quanto te valerá tudo isso sem o amor da tua vida?

Por maior que seja teu cargo, por numerosa que seja tua equipe, por insuperáveis que sejam teus resultados ou amplos que sejam os teus poderes, por extensos que sejam os teus domínios, por grande que seja a tua influência, por mais peso que tenha a tua palavra, quanto teu espírito estará em paz, se para alcançar tanto, faltaste com a justiça e ignoraste os princípios éticos?

Ler post completo

As atitudes falam mais do que as palavras!

000000 flor na porta

Li recentemente que é melhor presentear com uma rosa na data certa, do que oferecer um anel atrasado. Por outro lado, ouvi também de uma aluna espirituosa que, depende do anel! Subliminarmente, deu-me a entender que um anel de noivado, uma aliança de casamento ou, quem sabe, um diamante solitário, poderia tornar a falha do esquecimento um evento menor! Me pareceu fazer sentido, ante aos possíveis anseios ou interesses ocultos de alguma mulher menos exigente e severa.

Ler post completo

Não fuja de si mesmo!

Do que vivemos nós? De fatos ou de ilusões? Daquilo que é  ou daquilo que imaginamos ser? O que, verdadeiramente, nos atrai? O fato ou o devaneio? O que mais nos afeta? A realidade ou a imaginação? Com o que mais nos importamos? Com o que pensamos ou com o que os outros poderão pensar? E o que pensamos que os outros vão pensar, seria mesmo o que pensariam? Do todo que pensamos, quanto corresponde ao absoluto e quanto ao volátil? Decidimos sobre certezas ou sobre suposições? E o belo? É belo porque é mesmo belo ou porque casa com os meus desejos? “Penso, logo existo” ou Penso, logo sofro? Quando nos expressamos, somos o que somos ou aquilo que nos recomendam ser? Faço o que faço pelo que sinto ou pelo que quero que outros sintam? Se não respondo o que devo responder, por que faço isso? Por que critico os que fazem o que eu gostaria tanto de fazer? Talvez, não tenhamos respostas a todas essas perguntas. Porém, a coragem de respondê-las, pode nos levar a ser o que, em verdade, já somos!!!

Se voce leu e gostou, compartilhe!

Muito Obrigado!

Marcondes 2012/08/24

Ler post completo