Logo-grupo-cimm

Repense suas prioridades! Dá tempo.

imagesCAJ0T582Ricamente bela em cada detalhe, flui a natureza ao longo dos séculos desde os primórdios da humanidade. Harmoniosa e perfeita, cintilando brilhos e destilando aromas, expõe o melhor de si, celebrando a vida que recolhe dos céus, enobrecendo a terra que lhe sustenta e firma. Frágil infante, expõe sua inocência ante olhares tão desatentos! Oxalá nenhum incauto a pise, nenhum excesso climático a tome de  surpresa, nenhum peso a sufoque privando-a da luz, nenhum animal a mastigue, nenhuma mão a arranque,  pois nada pode fazer por si mesma a não ser germinar. Teu êxito vem das bênçãos das estações favoráveis ou dos favores ocasionais de algum excêntrico, que a tome por útil a seus propósitos particulares. Sensível, tu recolhes com humildade as graças que por ventura te acolhem. 

Que nada a atrapalhe e te tornarás fartura!  Que ninguém te impeça e serás sombra e frescor! Que nenhum insensato te destrua e serás frutos! Que a insensibilidade não te ignore e produzirás grãos em abundância! Que o egoísmo humano não te leve a ser desprezada e serás alimento de tantos! Que não te rejeitem e serás abrigo de pássaros e insetos! Que não te decepem e o chão se enriquecerá de húmus! Que não estejas tu no caminho do homem que só enxerga a si  próprio e suas necessidades capitais e, quem sabe, terás algum futuro mais nobre do que acender churrasqueiras e fornos ou compor mobílias! Que o excesso de gás carbônico não te enfarte! Que a camada de ozônio não se extingua e o sol não te seja inclemente e, quem sabe, esparramarás sementes ao vento! Que a praga não te encontre e a melodia de tuas folhas, algum dia, acompanhará a brisa e te fará notável pelo perfume de tuas flores que excitarão olfatos! Se não dos homens, ao menos, das abelhas e dos colibris! Que não te tornes caibros, cercas ou ripas e, quem sabe, tuas flores hão de colorir a primavera! Ah! Minha preciosa promessa! Que o Criador te proteja dos homens insensíveis!

Li esta semana que nem um imperador é páreo para um homem sem desejos. O tanto querer é fruto do desejar sem fim. Aquele que não controla seus desejos não considera o próprio entorno, por conta da ânsia de satisfazer as incessantes vontades, que de modo geral, só findam com a própria morte, pois, só assim, cessará o progressivo desejar. De certo modo, nada pode ser onde o homem sem luz deseja ser. Que graça teria passear em um carrão último tipo, vestido finamente, acompanhado de uma linda mulher, famosa e sensual, ao longo de uma estrada que margeia um rio de águas podres, um mar sem vida,  sentindo o vento de um ar contaminado e radioativo, em meio a uma floresta de concreto e aço, em um planeta, irreversivelmente, morto! Extinto, não só pelo chorume do lixo, mas também pelo chorume fétido e contaminante que flui nas veias de quem tem só a si mesmo por prioridade!

Marcondes                                     14 de abril de 2014                            01:56

 

Gostou? Então compartilhe