Tag: Expositores

Faça da tua vitrine uma isca viva! (Parte III)

Não raro, impera a má vontade desses profissionais de outras áreas por terem suas qualificações mais nobres, no entender deles, desperdiçadas em tardes de sábados e domingos para montar expositores ou vitrines, em uma feira que começará às 10hs do dia seguinte. Lembro-me de já ter ouvido: “Era só o que me faltava! Ao invés de estar no mercado racionalizando processos, testando ferramentas, estou aqui perdendo o meu tempo montando essas benditas vitrines! Arre!”.

Ocorre que tudo o que é feito com má vontade resulta em mau gosto. Pode ser uma macarronada, uma omelete, uma isca para fisgar carpas cabeçudas, ou montar um expositor em uma feira de negócios.

Muita gente não sabe quanto custa um vitrinista e quão grande é o benefício que este pode trazer à imagem de seus produtos. O vitrinista é um profissional que ama sua profissão, tem uma paciência de vó, pode ser de Jó também, se assim o preferirem. Ele se orgulha de investir um sábado e um domingo inteiro para montar um conjunto de expositores, ou uma vitrine, e faz tudo isso com dedicação e prazer. Nunca, qualquer outro profissional, será capaz de montar uma vitrine com maior nível de atratividade. São profissionais que estudaram para isso! Quando se aprecia um expositor montado por um vitrinista é fácil chegar à seguinte conclusão: “Cara, isso aqui foi feito com amor!”.

Se quisermos que os visitantes do nosso estande ou nossa loja, ao olharem para nossos expositores, pensem: “Ahã! Esse capricho todo faz jus a superioridade em produtos e serviços que esse pessoal tanto apregoa!”, não delegue a montagem de suas vitrines e expositores a incompetentes. Estou convicto de que o investimento valerá muito a pena.

Se você gostou desse meu post, compartilhe com seus amigos! Tenho por meta chegar às 100.000 “page views” por mês no prazo de um ano.  A  meta é ambiciosa, porém, como escreveu Ogg Mandino “É melhor mirar a lua e acertar uma águia do que mirar a águia e acertar apenas uma pedra”

Muito obrigado por ter lido essa sequência de 3 posts e um grande abraço!

Marcondes!

Ler post completo

Faça da tua vitrine uma isca viva! (Parte II)

Uma vitrine montada sem vida, em cores apagadas, onde os produtos já estão lá juntando poeira a algum tempo e sem qualquer movimento, funciona como uma isca morta, inerte. Ela só poderá atrair clientes menos exigentes, mais sedentários, quem sabe, menos abastados, de couro grosso, que acham o que procuram comprar, por mero acaso. Nossa! Acho que exagerei agora!

Em contrapartida, uma vitrine dinâmica, com algo (dispositivos, luzes, mecanismos, etc)  em movimento, com as cores da moda, com disposições que mudam constantemente, acaba chamando mais atenção dos clientes que passam pelos corredores, ruas ou avenidas. A atenção é despertada não por mero acaso, mas porque houve um planejamento para que isso ocorresse. Tais vitrines acabam atraindo clientes mais dinâmicos, mais ativos, mais exigentes, mais “escamosos” (Nossa! Essa foi de doer!) mas que, por outro lado, estão dispostos a pagar mais pelo que lá encontrarem.

Hoje em dia, principalmente nos pesqueiros, há pescadores que adicionam, leite Ninho, Ovomaltine, Groselha, cachaça envelhecida, ração de coelho e tantas outras sofisticações, que preparar iscas é quase uma arte à parte, um ritual. Porém, tudo vale a pena para atrair aquele peixe específico que se deseja fisgar, pois isca para dourados é diferente da isca para tilápias e assim por diante.

Uma vitrine deve ser tratada com o mesmo zelo. Cada peça deve ser estrategicamente posicionada, as cores, o layout, em fim, tudo deve ter um porquê, uma razão para ser posicionado aqui e não ali, a essa altura e não naquela, com essa cor e não com a outra. O estilo, a aparência deve se alinhar com o perfil do cliente que se quer fisgar, ou melhor, atrair.

Nas feiras de bens industriais, uma FEIMAFE – Feira Internacional de Máquinas e Ferramentas, por exemplo, muitas vezes quem monta as vitrines, ou seja, os expositores, de muitas empresas, são os próprios vendedores, assistentes técnicos, às vezes estagiários, ou ainda o pessoal do treinamento técnico ou de marketing. Todos esses podem conhecer muito sobre a aplicação dos produtos, sobre as respectivas condições de uso, sobre argumentações de venda, porém, muito pouco conhecem sobre “VITRINE”. (Continua no próximo post)

Ler post completo

Faça da tua vitrine uma isca viva! (Parte I)

Não sei o quanto você é familiarizado com a pesca amadora, por isso me atrevo a dar algumas explicações sobre iscas e peixes, para que, assim, possa estabelecer o paralelo que pretendo fazer nesse post.

Uma isca sem vida é inerte, não se debate na água, não provoca e nem chama a atenção do peixe. Ao ser arremessada à água, desce ao fundo e lá se deposita. Se não for encontrada, ao acaso, por algum peixe de fundo, se não for tocada ou movimentada, em pouco tempo descora, perde o gosto, perde o cheiro e passa a ser apenas parte da paisagem subaquática. Não que eu tenha provado alguma dessas iscas mortas para saber disso, mas a observação atenta, assim, me permitiu concluir.

No fundo do rio, habitam mais os peixes de couro, peixes limpadores, que costumam se alimentar de restos mortais de tudo que ao fundo desce. Em geral, são peixes mais sedentários e gordurosos. Segundo alguns entendidos, até menos saudáveis, dado ao hábito alimentar que possuem.

As iscas vivas (camarões, lambaris, minhocas reboladeiras), são exatamente o oposto, se debatem e se agitam. Isso chama muito mais a atenção dos peixes que estiverem pelas redondezas. Em geral, iscas vivas são usadas em linhas sem chumbada (peso de chumbo que serve para levar a isca ao fundo) ou com uma chumbada leve, para que a isca fique à tona ou à meia água, como se costuma dizer.

Os peixes de superfície, ou de meia água, são em geral peixes de escama, peixes mais agitados, que disputam força com as correntezas, são mais esbeltos. Por esse motivo, são peixes menos gordurosos, mais saudáveis, mais dinâmicos, mais brigadores, lutam mais. Esse tipo de peixe costuma ser chamado de peixe esportivo, pelo prazer que leva ao pescador, pelo trabalho que dá, para que seja tirado da água.

Ok! E o que é que isso tem a ver com uma vitrine? (Acompanhe no próximo post)

*@##$ sacanagem! Me perdoem. Mas o post nãopode ser muito longo!!!

Ler post completo