Tag: Dia das mães

Parabéns a todas as mamães!

A mamãe!Mãe não é apenas aquela que, após nove longos meses de gestação, trás à luz uma semente de esperança, renovando a graça da inocência que se traduz por meio do milagre da vida. Mãe é, também, aquela pessoa que renuncia a si mesmo, para traduzir-se em amor incondicional a uma promessa de perpetuidade da verdadeira essência humana. Mãe é incansável zelo, insubstituível confidente, indispensável amparo, incólume protetora, perpétua vigília, incessante luz, inextinguível seio, inigualável mestre, incomparável remédio, obstinada fã, cujos braços e colo formam um ninho quentinho de insuperável conforto. Mãe é fartura de beijos e abraços, é estímulo, é reforço do ego, é abrigo seguro, é amizade inconteste, é garantia de prioridade, é fonte de sensibilidade, é instrumento de Deus. O próprio verbo para vir ao mundo escolheu vir por meio de um ventre materno! Mamãe! Derramo-me em prantos por ti, uma vez que partiste para sempre. Me orgulho de ter nascido de um óvulo teu.  Mamães do mundo, que Deus as abençoe, de modo que seus filhos jamais deixem de honrar e pronunciar o teu nome com o máximo respeito. Que o Criador prolongue seus dias de saúde e felicidade na face da terra e que seus filhos te cubram de beijos e abraços. FELIZ DIA DAS MÃES!!!

Marcondes            11 de maio de 2014                  02:57

Ler post completo

A você que também é mãe!

De todas as cores, de todas as idades, de todos os pesos, de todas as culturas, de todas as origens, de todas as espécies, de todas as classes sociais, de todas as cinturas, de todos os países, de todos os bustos, de todas as alturas. De todas as virtudes, de todas as belezas, de todos os defeitos, de todas as plásticas, de todos os vícios, de todos os prazeres, de todos os sacrifícios, de todos os ciúmes, de todos os poderes, de todas as sensualidades, de todos os respeitos, de todas as dores, de todas as coragens, de todos os medos, de todos os amores. De todas as verdades, de todas as incertezas, de todos os segredos, de todos os risos, de todas as lágrimas, de todas as solidões. De todas as amarguras, de todas as paixões, de todos os beijos, de todos os afagos, de todas as alegrias, de todos os nãos, de todas as permissões. Legítimas, adotivas ou por vocação. De todas as broncas, de todos os perdões, de todos os trabalhos, de todos os shoppings, de todas as cozinhas, de todos os fogões, de todas as cidades, de todos os sertões. De todos os conselhos, de todas as reuniões, de todas as igrejas, de todas as religiões. Moderna, antiquada, chique, brega, tratada como rainha ou abandonada, casada na igreja, no civil ou ajuntada. Em nome de todos os filhos – dos que se lembraram, dos que se esqueceram,  dos extrovertidos, dos tímidos, dos pequeninos, dos jovens, dos que já envelheceram, dos amorosos, dos ingratos, dos drogados, dos caretas, dos famosos, dos esquecidos, dos que só se fartaram, dos que só sofreram, dos estudiosos, dos analfabetos, dos ricos, dos pobres, dos remediados, dos presos, dos livres, dos ateus, dos cheios de fé, dos que já perderam a esperança – a ti, em tua homenagem, essa singela flor. Que com ela te chegue também o amor e as bênçãos de Deus! Feliz dia das mães!

Ler post completo