Logo-grupo-cimm

Já pensou na tua missão hoje?

A missão

FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA

Como bem se sabe o tempo é um recurso não renovável e, à medida que a idade avança, parece-nos que, a cada ano, está mais acelerado! Mal se desmonta a árvore de Natal e já está na hora de tirá-la da caixa mais uma vez! Talvez, fosse uma boa ideia mantê-la armada ao longo do ano e não desmontá-la no dia de Reis, como manda a tradição. Quem sabe assim o espírito Natalino se preservasse o ano todo!

Na juventude, parece-nos que o nosso futuro é uma eternidade. Preocupar-se com o quê, se temos a vida toda para pensar em metas e realizações. Em pleno vigor físico e tendo o suficiente para manter-se e garantir as baladas, é difícil imaginar um outro cenário! Deste modo, o Carpe Dien (aproveite o dia, em Latim) parece nos servir melhor nessa fase da vida. Pelo menos até que a maturidade ou, quem sabe, um golpe do destino (uma gravidez inesperada, por exemplo), faça com que a responsabilidade bata em nossa porta prematuramente!

Todavia, assim tem sido e, provavelmente, continuará sendo para a grande maioria dos jovens. Como pais, podemos até chamar a atenção nisso ou naquilo, contudo, não me surpreenderia se estivéssemos fazendo o mesmo ou, quem sabe, pior do que eles, se tivéssemos a mesma idade! O tempo, por si só, passa muito rápido, porque apressá-lo ainda mais, forçando a maturidade dos filhos, só porque agora não é a nossa vez de ser criança ou de ser jovem?

A menos que se faça parte da “tribo” ou se estabeleça como um membro dela ou ainda que se seja uma lenda ou mito para eles, não é na juventude, que se há de plantar um bom destino. Esse tempo já passou! Plantar agora dará muito mais trabalho! Plante bons valores na infância e na adolescência e o jovem não se desviará do que se costuma chamar de “bom caminho”! Plante, principalmente, com exemplos e não, apenas, com palavras.

É quase impossível, no mundo atual, haver alguma empresa, bem sucedida, que não tenha bem claro para si uma visão, uma missão, um propósito e um conjunto de crenças e valores, que lhes dê plena sustentação estratégica! É imprescindível que desde o recrutamento, a seleção e a integração, tudo isso fique bem claro aos recém chegados. Com isso, todo novo membro terá uma orientação precisa sobre o que, como, quando, onde, quanto e porquê exercer suas funções em direção ao caminho do máximo êxito profissional. Promovendo, de igual maneira, os melhores resultados à empresa que o está contratando. Deste modo, a perspectiva trabalho estará revestida das melhores chances de sucesso! Simples assim!

Ocorre, no entanto, que o objetivo maior de uma pessoa é ser feliz. De preferência e seguindo os mais rígidos princípios éticos, sem que essa felicidade custe a infelicidade de um outro alguém, que dela dependa ou com a qual se relacione. Sabe-se no entanto, que só o trabalho, não é suficiente para que uma pessoa seja feliz em plenitude. Outras dimensões do ser, sem dúvida, precisam ser “bem” alimentadas e todos sabemos.

O trabalho pode dar conta da dimensão financeira, mas quem dará conta da dimensão saúde? Quem garantirá o êxito na dimensão família? Essa que envolve a pessoa amada – namorada ou esposa. A mesma dimensão que envolve também os filhos, os pais, os irmãos e parentes mais próximos. Quem há de sustentar a dimensão social? Essa dos relacionamentos e responsabilidades voltadas à comunidade de amigos e colegas que nos foram importantes ao longo de nossas vidas. O que fazer para evoluir na intelectualidade?

Partindo do pressuposto que todo ser humano tem um enorme potencial para iluminar-se enquanto ser pensante. Não seria uma lástima que toda uma vida fosse insuficiente para que uma pessoa saísse da mediocridade? Que ações, que rotinas, que procedimentos poderiam assegurar a elevação espiritual, não só de um indivíduo, mas também de toda a comunidade que o envolve? Não estaria nossa sociedade, completamente, doente ao privilegiar apenas o dinheiro e as posses como garantia de um futuro saudável? Quanto um indivíduo, uma vila, uma cidade, um estado, uma nação perde quando a ética não lhe é intrínseca?

Não seria surpresa se todos os profissionais de uma organização soubessem de cor e salteado a missão da empresa para a qual trabalha. A pergunta que não quer calar é se essas pessoas têm, igualmente, claro para si, qual a visão, a missão, o propósito, as crenças e os valores que, comprovadamente, garantem o êxito de uma pessoa nas demais dimensões. Qual a visão, a missão, o propósito, valores e crenças que dariam sustentabilidade a um verdadeiro pai, a um verdadeiro esposo ou esposa? Para que serve a espiritualidade? Teria alguma serventia? Quando, quanto, como, onde, por quê? E a saúde? Qual o seu propósito? Daria para cuidar disso tudo só quando estivermos a caminho da UTI?

Para conforto de todos nós, todas as demais dimensões são igualmente planejáveis, basta sabermos distribuir adequadamente tempo e prioridades!

Se algum trecho do meu texto te pareceu duro é porque te amo!

Marcondes         21 de Novembro de 2014               01:44

Gostou? Então compartilhe