Logo-grupo-cimm

Alguém me viu por aí?

Minha vida anda tão corrida que em certos dias meu corpo ainda toma o café da manhã, enquanto o espírito já está tirando o carro da garagem! Isso me dá a sensação que há um hiato entre o eu que preciso ser e o eu que posso ser.

 Alguém me interpela, emitindo uma opinião ou pedindo um conselho, meus olhos se dirigem a essa pessoa e respondo algo, mas minha alma já está na reunião ou no compromisso de hoje à tarde. Tudo é importante, nada pode ser deixado para trás. Há tanta coisa para fazer que resolvi perguntar ao meu superior, sobre o que ele gostaria que fosse dada maior prioridade, ou seja, o que, impreterivelmente, deveria ser terminado no prazo. Então ele me respondeu que só tudo, pois foi por isso mesmo que me promoveram, para que tudo fosse bem feito e no prazo. Sei que soa um tanto forte, mas na mesma hora me espantou a autopiedade e me fez sair pensando na estratégia “Hércules e seus doze trabalhos”. Fico feliz, pois me sinto, verdadeiramente,  um executivo! Foi para isso que me planejei: para estudar, para me formar, para me pós-graduar, para ser contratado, para ser reconhecido e ser promovido; para ganhar um ótimo salário e para suportar meu espírito longe do meu corpo. Eu aqui mastigando sem nem prestar muita atenção no gosto ou no quê e ele lá, acelerando o carro e acionando o portão da garagem. Eu aqui com o meu corpo e ele lá com o meu cérebro.  Como? O meu coração!!! Podemos falar depois sobre isso? Preciso alcançar me. Embora sólido, o que está aqui diante de ti é só o meu eu virtual! O que lhe falo são as palavras que restaram no rastro deixado pelo eu que já está lá adiante. Não, nunca pensei em planejar o ócio, o passeio, aquela visita aos tios do interior de São Paulo! Nesse mundo só se planeja tudo o que estiver ligado à carreira e ao trabalho. Afinal, nosso êxito é julgado pelo status profissional e não pelo quanto somos felizes! Me perdoe, preciso ir! Não se preocupe, passarei a eternidade no ócio! Uma pena que de lá, na eternidade, não deve haver praia, nem campo, nem flores, nem cheiro de relva, nem lagos, nem montanhas, nem filhos, nem esposas, nem pais, nem primos, nem tios. Bom! Deixa pra lá!  Mas aí sim! Herdarei a eternidade para o merecido descanso. Terei sim todo tempo, só não estou certo se, de lá, você vai conseguir me ouvir, ou quem sabe sentir o meu abraço e saber o quanto você é importante para mim, o quanto te aprecio e o quanto te amo!

Em um cenário de tantos exageros para lá, porque não exagerar um pouquinho para cá?

Se você gostou do que leu, compratilhe! Me fará um grande favor!

Grande abraço,

Marcondes.

 

Gostou? Então compartilhe

21 comments on “Alguém me viu por aí?”

  1. Valerio Freitas Responder

    Sempre trabalhei na área técnica, ou seja, como projetista.
    Hoje encarei em desafio e, trabalho na área comercial. Cuido de estoques, tiro pedidos, converso com clientes, emito nota fiscal eletrônica (Danfe), vejo o financeiro, entre outras tarefas e, por conta disso realmente não sobra tempo para quase nada. Quando por alguma razão me ausento, se instala o caos. Ultimamente me sinto como uma pessoa de vários membros e muitas cabeças. Bem, esta é a vida corporativa!

    • Marcondes Responder

      Prezado Valério!
      Um dos grandes problemas da superatividade é que, por conta dessas tantas tarefas, o tempo passa e não nos damos conta.
      Conheço histórias de pessoas que tiveram uma vida inteira dedicada à empresa e acabaram viciadas em trabalho Passaram 35; 40 anos em dedicação total à profissão, até que chegou o dia em que lhe deram um relógio de ouro, uma festa e lhe disseram: Parabéns, muitíssimo obrigado por seus elevados préstimos. Vá aproveitar tua vida, passear, curtir e descansar! Daí o cara morreu!! Já não sabia mais fazer outra coisa na vida!!! Não ter o que fazer, não ter reuniões, nem relatórios, nem inventáros, nem orçamentos, nem telefone tocando, nem cliente reclamando, acabou com ele, sentia-se um estorvo, um inútil, pela primeira vez sentia-se um fracassado, mesmo depois de 40 anos de vitórias.
      Eu mesmo quando escrevo tais textos, que procuram alertar para os excessos, temo que alguém pense: Humm! Esse aí não sei não! Não deve ser muito chegado no trabalho. Muitas vezes, parece que falar em descanso, passeio, tempo de qualidade para si mesmo ou para a família é um pecado. Equilibarar trabalho, vida familiar, vida social e lazer é fundamental para qualquer um que tenha vontade de conhecer os netos e os bisnetos.
      Muito obrigado por seguir o meu Blog.
      Um excelente final de semana pra você!
      Grande abraço!!!
      Marcondes.

  2. Aldeci Responder

    Estar presente físico e mentalmente é uma questão de filosofia de vida, que para mim, tem uma importância grande. Temos que nos concentrar em uma coisa de cada vez e não deixar as “interferências” externas nos contaminar. Se estamos em uma reunião, vamos nos concentrar no objetivo dela e ao término, poderemos nos concentrar no próximo assunto. Se o filho quer nos mostrar um desenho, temos que olhar com os olhos e com a mente, um colega de trabalho nos faz um comentário e percebe que falou ” ao vento” e assim por diante. É uma questão de hábito, treinamento mental. Não é fácil, mas quando colocamos esse comportamento como objetivo, aos poucos vamos nos educando e podemos ser muito mais produtivos. Uma coisa de cada vez.
    Muito bom Marcondes, tenha um ótimo final de semana de corpo e alma.

    • marcondes Responder

      Éstimado Aldeci!
      De tantos que conheci, você é um desses equilibrados.
      Sei que o que você acabou de escrever não é só retórica. Trabalhei com você muitos anos e tenho visto você construir uma família feliz! Sempre foi um amigo e sempre me deu bons conselhos!
      Você me fez lembrar de um curso em que o instrutor nos fazia ver a vida como uma ampulheta, não importa quanta areia tenha de passar pelo gargalo, mas tudo flui melhor passando um grão de areia por vez. Concentre-se no que de ve ser feito agora. Não adie o que lhe parece mais difícil, encare os desafios primeiro, faça antes o importante e depois o prazeiroso e assim por diante.
      Espero que você e tua família estejam todos muito bem!
      Um ótimo final de semana pra você!!
      Muito obrigado por seguir meu Blog, é uma honra!
      Abração!
      Marcondes.

  3. Irandilson Responder

    Parabens pelo artigo, me sinto assim tambem, são tantas coisas para fazer que até parece que me faltam
    horas, o dia podia ter 36 hrs e não 24 hrs, mas preciso parar e refletir na vida, pois as coisas belas passam
    e não vejo, não aproveito. É isso aí

    Um abraço

    • marcondes Responder

      Prezado Irandilson!
      Muito obrigado pela visita e pelo comentário!
      O primeiro passo para mudar este estado de coisas é ter consciência de que alguma alternativa precisa ser encontrada, uma nova postura deve ser adotada.
      Quando alguém tem o seu dia de trabalho tão intenso, depois do expediente, o cérebro não consegue parar e segue na inércia, como se ainda estivesse trabalhando. A pessoa dorme e no sonho continua resolvendo os problemas, que não deu tempo de resolver durante o expediente!
      Reconhecer que se está vivendo assim é o início da mudança para algo melhor!
      Torço por você!!!
      Grande abraço e mais uma vez obrigado pela visita e pelo comentário!
      Marcondes.

  4. Tatiana Responder

    São apenas 2 comentários:
    1º SENSACIONAL! Parabéns!
    2º Precisamos mesmo parar um pouco e pensar sobre o que estamos deixando de fazer para atingir metas profissionais!! Uma reflexão que vale a pena!
    Bjs e ótimo final de semana.
    (levarei partes pro meu face hj heim!!!)

    • marcondes Responder

      Querida Tatiana!
      Muito obrigado!
      Li uma vez na traseira de um fusca verde, próximo à antiga estação rodoviária de Campinas, quando ia de viagem para minha querida terrinha:
      “Nenhum sucesso profissional justifica o fracasso no lar”
      Nessa época creio que eu ainda era solteiro, mas a frase reverbera em minha mente até os dias de hoje.
      Fico feliz que o texto possa ser aproveitado no Face. Fique à vontade! O Objetivo é esse mesmo, que tudo possa se multiplicar em direção a uma sociedade mais saudável. Afinal, todos nós merecemos!
      Bjs e ótimo final de semana pra você também!!
      Abração pra todos vocês !
      Marcondes.

  5. Sergio Responder

    Xicão!! Ops desculpe, Prof. Marcondes.
    Parabéns pelo texto.
    Obrigado por descrever minha vida cotidiana com tanta acertividade.
    Somos muitos com as mesmas caracteristicas, vivendo os mesmos sentimentos, desafios, oportunidades, desagruras e medos, vivendo o devaneio das nossas crenças, de nos considerarmos super-homens e até de nos julgarmos capazes de versar sobre conhecimentos de outro plano que não o humano.

    Muitos de nós já fizemos esta pergunta:

    Onde vou chegar com tudo isso?

    “Vaidade. É tudo vaidade.” Algum autor, há muitos anos, em um certo livro, assim escreveu. Dizendo da inutilidade dos trabalhos sobre o sol.

    Que o Grande Arquiteto Do Universo, nos conceda a oportunidade de, em outro plano, continuarmos trabalhando, excluindo-nos do ócio dos “limitados”, com objetivos claros, diferentes dos obscuros de hoje.

    Que Ele conheça o mais escuro abismo de nossos corações e saiba da nossa indole e os motivos da nossa insana corrida humana para não sabermos onde chegar.

    Forte abraço

    • marcondes Responder

      Estimado Sergio!
      Obrigado pela visita e pelo comentário!
      Creio que, no mundo organizacional de hoje, é incontável o número de pessoas que vivem este dilema.
      Vivemos o modelo de gestão 1/2; 2; 3, ou seja, metade das pessoas trabalham o dobro e produzem o triplo. O problema é que enquanto a pessoa estiver na organização, a própria organização alimenta a vaidade e garante um meio de se manter emocionalmente bem. Pois um louco se sente absolutamente normal dentro de um hospício. O problema é quando essa pessoa saí da correnteza e ancora numa praia. Alguns, se ainda tiverem fôlego e energia para nadar, pulam imediatamente de volta no rio. Se possível em algum ponto onde a correnteza esteja ainda mais forte. Outros, morrem, pois seus prótons e elétrons já desaprenderam como desacelerar. De todo modo, ainda há muita esperança para todo aquele que se curvar ante a natureza, ante o universo, ante Deus!
      ************************
      Vaidade de vaidades, diz o pregador! Tudo é vaidade!
      Que proveito tem o homem, de todo o trabalho, que faz debaixo do sol?
      Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.
      Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.
      O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos. Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr. Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir. O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.
      Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós. Já não há lembrança das coisas que precederam, e das coisas que hão de ser também delas não haverá lembrança, entre os que hão de vir depois.
      Eclesiastes 1:1-11
      *****************************************************
      Amigo!
      Para que um estado de coisas possa mudar, em primeiro lugar é preciso querer que ela mude.
      Se você acompanha meus posts nesse blog, deve saber, de quando em vez, escrevo sobre esse tema. Talvez esteja escrevendo minhas memórias, contudo, tenho me dedicado ao estudo do homem e sua natureza, já de algum tempo, isso também tem me levado a essas reflexões. Creio que em tempo!!!
      Um grande prazer receber teu comentário!
      Grande abraço e um excelente final de semana!
      Marcondes.

  6. Alexandro Novais Responder

    Olá meu querido e prezado Marcondes….
    Quão emocionado estou agora, após ler este texto.
    O mais interessante é, que ao ler este texto eu tive a chance de me ver, creio que aconteceu com a maioria que tiveram o previlégio de ler também.`
    É muito bom ter pessoas como você, que deixa a alma falar, demonstra o sentimento verdadeiro de alguém que ama o que faz, e acima de tudo “ama o próximo”.
    Novente quero lhe dar os mais sinceros parabéns e até a proxima.

    Abraços!! Alexandro…

    • marcondes Responder

      Estimado Alexandro!
      Obrigado pelo generoso comentário e pela visita.
      Creio que cada um tem uma missão na vida. Cada um recebe um talento natural e penso que é missão nossa dividir do que temos para que outros partilhem conosco daquilo que não temos.
      Imagino que a maioria das pessoas nas indústrias de hoje vivem o mesmo problema, sentem as mesma angústias, mas criou-se um estado de coisas que lamentar pode soar como fraqueza, então todos seguem juntos, sem olhar para o lado e cumprem sua sina como “ovelhas sem um bom pastor”.
      Talvez eu esteja exagerando, pelo calor que este tema desperta em mim.
      Mas estou convicto de que é possível manter uma empresa muito competitiva sem que as pessoas anulem seus corações, suas paixões, suas famílias, suas vidas, na extensão que a vida deve ter.
      Mais uma vez, muito obrigado por suas palavras de apreço.
      Um excelente final de semana pra você!!!!!!
      Marcondes.

  7. Adilson Silveira Responder

    Querido amigo Marcondes,
    Obrigado por colocar o seu talento para nos fazer lembrar do que realmente vale a pena – viver o hoje da forma mais intensa possível. É curioso pensarmos que, sob a ameaça de perdermos algo ou alguém deixados quase a vida toda em segundo plano, somos capazes de oferecer tudo o que conquistamos na vida profissional, para a qual dedicamos o melhor do nosso tempo até o momento.

    Pensamos por vezes estar fazendo diferente, mas quase sempre, por descuido, acabamos nos enganando.

    Um grande abraço
    Adilson

    • Marcondes Responder

      Estimado Adilson!
      Da última vez que nos encontramos ainda falavamos desse tema.
      Me entusiasmei com os teus comentários sobre como estava promovendo mudanças na tua própria vida, pessoal e profissional, nesse sentido.
      Também tenho focado esse novo modo de encarar a vida e tenho procurado compartilhar tais ideias no blog.
      Todos nós temos 8 horas bem medidas para sermos eficazes no trabalho, somos pagos para isso, mas precisamos entender que as outras 16 horas precisam ser bem dedicadas a outras dimensões que a vida deve ter, ou seja, a dimensão cônjuge, dimensão pai, dimensão filho, dimensão irmão, dimensão amigo e assim por diante.
      Grande amigo, obrigado pelo comentário e pela visita!
      Abração!
      Marcondes.

  8. Ronaldo Responder

    Olá querido amigo Chicão….
    Concordo plenamente com o Alexandro Novais, me encontrei em tuas palavras…mesmo que muitos na empresa possam não me ver assim…achando que consigo curtir a vida e a familia…..penso que deixo muito a desejar com relação a parte familiar para me dedidcar ao profissional…para se ter uma idéira já pedi para minha esposa que você conhece bem…ir para SP e me deixar em casa para eu poder me concentrar no trabalho que eu tinha que fazer…não sei até que ponto este investimento vale a pena….sabe aquele famoso discurso de custo benefício….retorno do investimento….será que vale a pena tudo isto? Será que se meu filho se espelhar em mim não terá a mesma frustração quando um amigo dele tiver um blog e ele ler as palavras colocadas acima?
    Mas a vida continua….até que a empresa diga….cara você não me serve mais….você não se dedica tanto a empresa como ela precisa….vamos procurar uma outra pessoa que possa se dedicar mais…
    Você tem toda razão no texto exposto….mas infelizmente as empresas querem mais razão que emoção..

    Um grande e forte abraço de um amigo que ter quer muito bem…..

    • Marcondes Responder

      Grannnnnnnde Ronaldo!
      Te entendo perfeitamente.
      Tenho certeza que muitos são os que vivem situação similar.
      Creio que criou-se uma cultura onde o extrapolar o que já é extremo passa a ser o normal.
      A impressão é a de que já se estabeleceu uma cultura de escravidão voluntária e todos acabaram aceitando tal fato como o natural. Somos pagos por 8 horas diárias de trabalho, que devem ser muito bem trabalhadas, contudo as 16 horas restantes deveriam ser bem vividas em função das demais áreas da vida que precisam ser contempladas, como respondi para o Adilson acima.
      Você é um dos amigos que admiro como profissional e como ser humando, torço para que você encontre alternativas para equlibrar a balança entre vida privada e vida profissional.
      Afinal, voce e tua família merecem!
      Grannnnde abraço e obrigado pelo comentário!
      Marcondes.

  9. Vinicius Responder

    Poxa Marcondes, acho que no contexto atual e no meio que estamos inseridos este post arrebentou, o que deve ter de “nego” que lhe serviu a carapuça….
    Eu achava que isto era coisa que todos passavam na vida, uma fase, uma opção momentânea, uma vez atingido alguns degraus a vida também caminharia para outro lado, porém, já não sei mais, não sei mesmo como as coisas vão acontecendo e menos ainda aonde vai dar, porém é de se preocupar…

    Um grade abraço e espero que você com sua sabedoria esteja vivendo melhor!

    • Marcondes Responder

      Estimado Vinícius!
      O tempo, quase sempre, nos trás todas as respostas.
      O desafio é que ele nos traga tais respostas mais cedo, pois, para a maioria das pesoas, elas chegam quando a côr já desbotou, o vigor esvaeceu, a terra ressecou, as flores murcharam, os olhares perderam o brilho, e as brazas estão quase em cinzas.
      Não vejo outro modo de mudar este estado de coisas, se as pessoas não passarem a buscar as repostas para os seus “verdadeiros” problemas, mais cedo.
      Não tenho dúvidas de que você será um desses que antecipará muitas respostas.
      Um grande super abraço pra você.
      Marcondes.

  10. Edilson Alves Responder

    Boa noite amigo Marcondes.

    Sabe, um dia eu estava muito assoberbado com um dia de trabalho e ao final do dia fui até a CFF entregar um lote de peças, e como era um final de dia, eu estava no limite, quando entrei na empresa e vi um funcionário da empresa com uma vassoura na mão e feliz da vida estava cantando um louvor ao Senhor, olha naquela hora como eu queria sair de mim e ser ele.

    Tudo o que você tem compartilhado no seu blog com relação a esse tema, é bem tudo o que tenho tentado aprender, um dia Jesus disse para as pessoas que o estavam ouvindo, NÃO VOS PREOCUPEIS COM O DIA DE AMANHÃ, e essa é uma missão quase impossível, mas que precisamos aprender, só assim vamos dar mais valor ao dia em si mesmo, aproveitar cada momento com intensidade.

    Deus nos abençoe.

    Ósculo Santo!!!

    • Marcondes Responder

      Estimado Edilson!
      Que a paz esteja contigo!
      A verdadeira felicidade custa muito menos do que se imagina!
      Creio que para encontrá-la é preciso desapego e de renúncia.
      A meu ver, o primeiro passo é buscar, buscar e buscar pela sabedoria.
      Quando penso sobre como deveríamos agir para sermos mais felizes, sempre me vem o sermão da montanha.
      Que Deus te abençoe !!
      Grande abraço!!!
      Marcondes.

  11. wagner Responder

    Caro amigo o mundo é uma grande roda gigante , que roda sem parar e nós estamos nela bestificados tentando seguir o ritimo , enfrentando as pedras do caminho, nos desdobrando e nos elevando a 10ª potencia e mesmo assim ficamos sempre estaguinados sem saber bem que rumo tomar

    ABRAÇOS

Deixe uma resposta