Logo-grupo-cimm

Aprendendo a viver!

trabalham-AM-Assistencia-Social-Estado_ACRIMA20150314_0008_15

Gosto da afirmação de Manfred F. R. Kets de Vries de que nessa vida tudo nos ensinam, menos como viver e como morrer! É muito comum, cada um viver de acordo com suas convicções, entretanto, quantos enganos não são cometidos por conta de convicções equivocadas. A torre de Babel persiste desde sua instauração. Ficção! Quem sabe? Porém, absolutamente, sólida ao se comparar as diferentes verdades que se originam de um mesmo fato ou evento, quando tomados sob o ponto de vista de distintas culturas; de variados níveis de conhecimento; de particulares graus de interesse; de desuniformes faixas etárias; de irregulares intensidades de conhecimento; de distintos níveis de vaidade; de um variado conjunto de crenças e religiosidades; enfim; dos tantos aspectos que fazem consolidar em cada mente uma perspectiva própria para se enxergar a vida, o mundo e o universo.

Embora invisíveis, invariavelmente, em quase toda discussão humana, cada indivíduo se arma com protetores auriculares, temerosos de que a verdade do outro possa transpor suas resistências emocionais e, quem sabe, despi-lo daquilo que, por decreto, deseja impor como certo. Com suas línguas cortantes e seus escudos viciados, lançam-se à disputa de um veredito, do qual o grande interesse é salvar seus próprios egos.

De que outro modo se poderia pôr abaixo essa torre, sem que se aprenda a ter um genuíno interesse e amor pelo próximo? Como prover harmonia aos homens, sem que se veja em cada pessoa um espelho de si mesmo? Sem se compreender que nenhuma verdade é suficientemente boa se resultar na destruição moral, intelectual, física, sentimental ou espiritual do semelhante!

Diz-se que as maiores realizações se encontram nas coisas mais simples e que, justamente, por serem soluções tão simples, acabam desprezadas pelos egos ávidos pela glória da sofisticação. A verdade reluzente surge do homem nu e, de tal forma inocente que, sequer, se dá conta de estar despido. Não há brasões nem etiquetas a colocá-lo neste ou naquele patamar de grandeza, pois a cada vez que se destrói o outro, destrói-se junto um pouco de si mesmo!

Quanto mais a ambição, a vaidade e a inveja invadem o coração do homem, mais Babel se agiganta. Contudo, não há torres ou paredes que resistam as virtudes inerentes ao bem supremo, ao amor incondicional, à fraternidade sem medida! Quem passar por essa vida sem aprender a ver em cada ser vivente, um alguém que mereça amor e respeito, entrará pobre na outra dimensão da vida, da qual não haverá retorno! De nada valerá ouro, prata, títulos e posses lá do outro lado! Quem chegar ao fim e não estiver bem consigo mesmo e com o seu entorno, como poderia descansar em paz na eternidade?

O bem viver não carece de posses, mas de amor! Gilmar, um negro meu amigo, sem uma moeda sequer no bolso ou no console do carro, sentiu-se constrangido por dar uma resposta negativa a um jovenzinho de olhar triste, que o abordou no sinal fechado, lhe perguntado se não teria nada para lhe dar. Em um momento desses de inspiração e coragem, respondeu: Tenho sim! Abriu a porta, desceu do carro e deu um enorme e afetuoso abraço no menino. Ambos choraram e foram aplaudidos por quem acompanhou a cena! Me emocionei com essa história.

Vries disse que se alguém soubesse quando iria morrer, o que mais essa pessoa gostaria? Provavelmente, na hora da passagem, estar rodeado das pessoas que mais amou e que mais significaram para ela ao longo da vida. Contudo, em nossa sociedade moderna, provavelmente, incontáveis são aqueles que passam seus últimos dias em uma sala de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), com direito a 15 minutos de visita por dia e de no máximo duas pessoas. E se não bastasse, possivelmente, morrendo de medo e tensão, por nunca ter se preparado para tal experiência. Ali encarando o próprio fim, repleto de dúvidas sobre o que o espera do lado de lá, pois sempre se imaginou um highlander (imortal).

Me perdoem o tom dessa mensagem, porém, li certa vez, que às vezes se aprende mais sobre a vida em um velório do que em uma festa. Quase sempre, olhar a fatalidade nos olhos costuma incentivar altas reflexões sobre o verdadeiro sentido da vida!

Cara! Desarme-se! Abra mão das suas verdades em favor do amor! Pode ser difícil até se acostumar, mas a experiência tem mostrado que vale muito a pena!

Marcondes, 18 de dezembro de 2015            02:19

Gostou? Então compartilhe

12 comments on “Aprendendo a viver!”

    • Francisco C Marcondes Responder

      Prezado Mario!
      Li uma vez um livro que pregava que no mundo não há coincidências.
      Se a mensagem chegou até você e encontrou ressonância, talvez seja porque você precisava dessas palavras e o blog acabou sendo a ferramenta usada por Deus para que a mensagem chegasse até você.
      Prezo muito que tenha te feito bem!
      Há momentos na vida que precisamos encontrar forças onde já imaginamos não ter, porém, ser obstinado pela vitória ajuda sempre.
      Grande braço!
      Marcondes.

  1. Raphael Peretta Joseph Responder

    Boa tarde

    Que Deus te ensine e aperfeiçoe cada vez mais com o dom de repartir seus excelentes textos e pensamentos!

    Abraço.

    • Francisco C Marcondes Responder

      Grande Raphael !
      Muito me alegra o teu comentário!
      Amém! Que Deus te ouça!
      Me esforço bastante para escrever algo que possa contribuir para que as pessoas reflitam suas próprias vidas e busco em Deus a minha inspiração.
      Fico feliz que tenha gostado!
      Grande abraço!
      Marcondes.

  2. José Pavani Sobrinho Pavani Responder

    Somos uma palha ao vento, movidos de paixões que nos leva aos becos da vida, provocando ciladas que poderão ser catastróficas para o nosso bem estar. Há quem diga que somos a imagem do nosso criador, desprezando a diversidade da vida desta nave que nos carrega pela imensidão do sistema solar. Sim, podemos ser um pouco de cada coisa que imaginamos, os nossos anseios e desejos nos carregam para o futuro. O que não podemos ser é a criatura ideal, quem sabe, o próprio criador imaginou!

  3. Israel Ribeiro Responder

    Que tenhamos a humildade de não queremos ser mais do que o outro.

    Marcondes desejo a você Boas Festas.

    Israel Ribeiro

    • Francisco C Marcondes Responder

      Grande Israel!
      Li certa vez, que tudo no mundo é vaidade e creio que é justamente ela que faz com que uma pessoa queira ser mais do que a outra!
      No fim, tudo veio do pó e um dia pó voltará a ser, porém, alguns se julgam um pó mais perfumado do que o outro!
      Espero que tenha tido um ótimo Natal.
      Aproveito para te desejar um Ano Novo acima de suas melhores expectativas de saúde e realizações!
      Grande abraço!
      Marcondes

  4. Edilson Responder

    Boa noite querido Marcondes, é repetitivo eu sei mas, que texto maravilhoso e verdadeiro, minha esposa gosta muito de seus textos, e quando leu esse texto repassou para nosso pastor “Ronei Porto da Rocha” e esse texto o inspirou a uma pregação, meus parabéns querido amigo, pelo dom que o Eterno lhe concedeu.

    Feliz Natal e um ano novo da Graça de Deus!!!

    • Francisco C Marcondes Responder

      Estimado Edilson!
      Que a Graça e a Paz estejam com você e tua família!
      Que honra a minha!
      Que Deus os abençoe! Transmita meus agradecimentos à tua esposa e ao teu pastor.
      Que benção!
      Peça ao Pastor Ronei que ore por mim e pelo meu blog, Que Deus permita que o bem supremo possa fluir por intermédio dos meus textos e sob a inspiração do Espírito Santo e que muitas pessoas possam ser alcançadas e sensibilizadas na direção do amor Divino, por esse secular que sou eu!
      Desejo a você e toda a sua família um Ano Novo de muitas bençãos, de muita unção e muitas experiências que possam contribuir para uma intimidade cada vez maior com o Criador!
      Grannde abraço!
      Obrigado pela amizade e pela companhia!
      Marcondes.

Deixe uma resposta