Logo-grupo-cimm

Evolua no seu modo de apreciar a vida!

000111222 aaa Liberdade

FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA

Não aprisione pássaros, plante jardins no entorno da tua casa e teu cálice transbordará de encantos, cores e perfumes! Aprisionar é um ato extremamente egoísta. É valer-se de uma superioridade animal de força e inteligência, para subjugar seres indefesos. Tudo por conta da sede de possessão que envaidece o homem, tido, por ironia, como Sapiens! É tolher um ser inferior (se é que assim o é!) da natural liberdade, que a ele foi concebida pelo mesmo Criador que te pôs no mundo, sem que a este pequeno ser, seja concedido qualquer julgamento ou direito de defesa! É subtrair uma beleza natural que a todos pertence, para torná-lo cativo e escravo da vaidade de alguém menor, que ainda não aprendeu a contemplar o belo sob a insígnia da justiça e a distinção da nobreza! Quem é esse que tem o direito de tomar para si a natureza que a todos pertence? Antes disso, integre-se a ela.

Por mais que te esforces nunca terás a fauna e a flora sob o teu teto e funcionando sob teu regimento. A natureza é livre e ampla. Ela pertence a todos os seres viventes, sejam esses Sapiens ou não! Subtrair, arrancar um pedaço e levar para casa, de lembrança, para colocar na estante da sala, ou decorar o jardim é imensamente imaturo! Meter o canivete na casca de uma árvore centenária só para dizer ao mundo: “eu estive aqui!” é, além de uma tremenda falta de respeito com a árvore, uma imbecilidade superlativa. Mesmo que fosse para declarar seu grande amor pela pessoa amada! Escreva-lhe um verso inspirado e entregue-lhe junto com uma caixa de ‘língua de gato’ e fará mais sucesso!  É preferível publicar no facebook então!

Há quem limpe e purifique a casa despejando lixos, venenos e entulhos nos rios e arroios, como se o mundo todo e tudo o que importa se restringisse ao conforto próprio. Dane-se o mundo e os demais fora da minha porta! Ocorre que os rios não são, por direito, nossos! Os rios pertencem a todos os seres terrestres, principalmente os aquáticos e subaquáticos!  A natureza não pertence a ninguém em particular. Tudo o que nela há, pertence a, absolutamente, todos nós, criaturas do Eterno. O quanto mais elevados possamos ser em inteligência, deveria ser usado para contribuir e ‘nunca’ para deteriorar um entorno que não nos pertence particularmente!

Creio, piamente, que o dia em que tivermos uma sociedade, realmente, sábia, toda vaidade e todo o exibicionismo serão extintos. Por ora, o comportamento, mais ou menos padrão, para cada um que tem um som legal em casa ou no carro, uma motocicleta potente, o último sucesso de sua banda preferida é arrebentar os tímpanos de todos ao redor só para mostrar o quanto se é ‘viril, poderoso e o bom gosto que se tem!’. Ao menos no etender de cada um desses infelizes!  Não há remédio que os cure do impulso patológico de exibir-se. Algo muito comum entre animais irracionais que pretendem conquistar a posição de macho alfa da matilha!

A natureza carece da biodiversidade. O mundo, as ruas, as estradas, as florestas, os rios, os ares, os mares, as cidades, as vilas, os colégios, e tudo quanto tiver uma abordagem coletiva deve, necessita, urgentemente, ser respeitado como tal. A liberdade de cada um pode avançar até o ponto em que não fira o bem estar do outro. Pra mim, tenho que não devo zombar de Tupã, de Alá, de Javé, de Iemanjá, de Jeová, de Buda, de Maomé ou qualquer outro deus, se quero que respeitem a minha cultura e o meu Mestre dos Mestres!  Ou seja, eu não sou Charlie! Creio que no mundo, de modo geral, as pessoas vivem uma crise de falta de respeito pelo que é público, assim como, de respeito de cultura para cultura, de pessoa para pessoa. Por isso, se em algum momento desse texto, eu te desrespeitei! Me perdoe! Não era essa a minha intenção!

Marcondes           19 de Janeiro de 2015       03:18

 

Gostou? Então compartilhe

2 comments on “Evolua no seu modo de apreciar a vida!”

  1. Adilson Responder

    Meu querido Marcondes, teu texto é digno de um discurso no encontro de lideres da ONU. 🙂 Você abordou vários temas precisamente em poucas palavras. Falou de liberdade, meio ambiente, diversidade, respeito pelo que é sagrado com simplicidade e verdade.

    Vou expressar aqui minha opinião que para muitos pode ser equivocada! Sim, sou contra qualquer tipo de violência, seria ótimo se todos vivessem apenas para amar, mas não podemos esquecer que existem os que matam e morrem pela sua pátria e aqueles que matam e morrem pela sua fé – entre os dois o que seria mais digno? Não acho correto brincar com o que é sagrado para outros, mesmo que se seja ateu, independente da intenção, se política, humanitária ou por simples idiotice. Existem outras abordagens, mais “sapiens”, para combater e até ironizar atitudes indesejadas de outras culturas sem que se tenha que ofender o sagrado. O quê acham que conseguirão com este tipo de abordagem além de justificar o ódio e servirem de mastro para suas bandeiras?

    Um agrande abraço

    Adilson

    • Francisco C Marcondes Responder

      Estimado Adilson!
      Muito obrigado pela visita e pelo comentário!
      Estamos alinhados. Quem ironiza a fé de um outro, falta com o devido respeito a este. Muitas vezes, esses cartunistas, sabem que estão mexendo em um vespeiro, porém, mesmo assim o fazem; às vezes por vaidade, às vezes em busca de fama e uma maior tiragem do jornal!
      Com tal atitude, inflamam, como você disse, a ira daqueles que lhes são diferentes e a vingança, muitas vezes, traz consequências indesejadas para pessoas inocentes!
      Grannnde abraço!
      Marcondes.

Deixe uma resposta