Logo-grupo-cimm

Decifra-me ou te devoro!

1A Peixe PraiaBuscar significado em tudo é uma tirania! Por outro lado, é isso que faz do homem um ser, supostamente, superior aos demais animais, já que, a esses outros, parece pouco importar o sentido das coisas, pois, pelo que se vê, apenas vivem e dali a pouco deixam de viver, quase nada podendo fazer por si mesmos, no sentido de evoluírem daquilo que são para aquilo que poderiam ser.   Há milhares de anos peixes encalhados no retorno da maré morriam exatamente como morrem hoje! O Homem, no entanto, olhou algum dia para si mesmo e se impôs as seguintes perguntas: Quem és tu? De onde vens? Para onde vais? O que fazes aqui? Creio que desde então, tirou de si mesmo o sossego. Conhecido como o enigma da esfinge, tais perguntas consolidam um grande mistério sob a pena do “decifra-me ou te devoro!” ou seja, aquele que não se empenha em responder a tais perguntas, correrá um sério risco de ser consumido pelo tempo e resultar em nada mais que o esquecimento. Um pouco de imaginação e tais perguntas podem fazer sentido em distintas situações. Será que não?

Por exemplo: Se teu filho de 5 anos te perguntasse:

Papai ou Mamãe! Quem é você? (Meu genitor? Meu mentor? Meu supridor? Meu conselheiro? Meu educador? Meu amigo? Meu mestre? Meu ídolo? Meu exemplo? Minha companhia? Meu contador de histórias favorito?) Se é mesmo tudo isso, se importa de saber minha resposta, em função do que tenho vivido ao teu lado?

De onde você veio? ( De que lar? De que tipo de família? Quem foram meus avós? Em que escola você estudou? Na tua infância você também tinha medo? Quais eram os teus brinquedos? Quem foram os teus melhores amigos? Você nasceu em uma cidade grande ou pequena? Quais os teus valores fundamentais? O que você mais curtia fazer? O que te ensinaram que te valeu a pena? O que de melhor você me trouxe lá de onde veio?)

Para onde vais? ( Como líder da família, para onde pretende nos levar? O que pretende realizar e até quando? Que benefícios teremos ao chegarmos lá? Como pretendes fazer isso? O que posso fazer para contribuir? Esse lugar para onde vais é bom só pra você ou para todos nós? Se importa de saber minha opinião? Porque escolheste esse destino e não outro?)

O que fazes aqui? (Qual é o teu papel como pai? E como cônjuge? E como profissional? E como cidadão? E como filho? E como irmão? E como responsável por si mesmo? E como semeador? E como vizinho? E como educador? Você se sente bem com o que está fazendo e da maneira como está fazendo?)

E se teu cliente te perguntasse:

Quem é você? ( Quem é tua empresa? O que vocês produzem? Qual é a tua função? Que marcas representa? O que pode fazer por mim e minha empresa? Que tipo de fornecedor é você? Portador de quais novidades ou benefícios?)

De onde você veio? (Vieste da matriz? Do distribuidor? Do fabricante? Da fábrica? Do Planejamento? Do departamento de Custos? Do departamento de projetos? De compras? De vendas? Da engenharia? Da universidade importante tal?)

Para onde vais? ( Para onde pretende nos conduzir? A que estado de melhorias? Quais departamentos pretende visitar, para que tua visita valha a pena? Que itinerário seguirá ao sair daqui?)

O que fazes aqui? ( Por que está aqui tomando o meu tempo? Que contribuição vieste me trazer? Por que acredita que eu devo prestar atenção na tua conversa? Por que vieste fazer justo aqui isso que pretendes fazer?)

Dois exemplos, se é que eram necessários, parecem suficientes, se não exagero, porém, tais perguntas poderiam ser feitas aos professores em relação à escola, aos alunos em relação a seus professores e escolas e assim por diante!

Tais  questionamentos no entanto, não devem constituir em mais um peso a ser carregado, antes disso, devem servir de norte para que todo esforço promova bons resultados e te poupe tempo. Mas voltemos à foto, por trás dela há um fotógrafo! Quem é ele? De onde ele veio? Pra onde ele quis nos conduzir com essa imagem? O que ele quis fazer ao imprimir essa foto e não outra?

Arre! Ser racional, muitas vezes,  é um porre! Todavia, se queremos que nossas ações façam sentido a alguém mais, talvez, não haja outro caminho se não o questionamento, pois sem isso, todo êxito estará a depender do simples acaso!

Obs:

Me perdoem a demora. Essa semana foi fechamento da edição da revista  Manufatura em Foco de Novembro e meu tempo ficou escasso.

Em tempo, se você atua no segmento metal mecânico e quer uma excelente vitrine para teus produtos e serviços, venha para a Manufatura em Foco!

Se quiser detalhes, fale comigo!

Marcondes                     22 de outubro de 2013                02:06

 

Gostou? Então compartilhe

2 comments on “Decifra-me ou te devoro!”

  1. Cicero Antonio Responder

    Bom Dia!

    Caro Marcondes bela reflexão, acredito que com essas palavras varais pessoas que leem esse texto terão um momento de reflexão, sobre qual é o verdadeiro sentido dela nesta vida.
    Agradeço por sua contribuição intelectual.

    Obrigado e nos Veremos em breve.

    • Francisco C Marcondes Responder

      Olá Cícero!
      Obrigado pelo comentário e pela visita ao blog!
      Sabe meu amigo! Não raro as pessoas investem mais tempo pensando em problemas menores do que naquilo que seria capaz de sentirem-se mais plenas!
      Grannnde abraço!
      Marcondes.

Deixe uma resposta