Logo-grupo-cimm

Antes de ser belo saiba o que a beleza é!

1AbcdPor julgar saber, interfere-se no apenas ser o que se é, ou seja, o que se nasceu para ser. Todavia, quem é esse que realmente sabe, quando ante a um mesmo fato há tantas opiniões divergentes? Quem estaria mesmo certo? O que leva cada um a pensar que verdadeiramente sabe? Viria do profundo ou do superficial saber?

À superfície encontra-se a teoria, a fantasia, a carência, o desejo, o delírio, a alucinação, a hipótese, o aforismo, a inconformidade, a paixão, o ufanismo, o ciúme, a inveja, o orgulho, o postiço, o remediado,  a projeção, a imaginação, o sonho, a esquizofrenia, a paranoia, a neurose, a psicose, a arrogância, em suma, a vaidade ou, no mínimo, a consequência desta!

De tanto crer que se sabe, muda-se aqui, altera-se lá, enfeita-se isso, levanta-se aquilo, despe-se aqui, cobre-se lá, frequenta-se cá, consome-se acolá, compra-se isso, usa-se aquilo, ajusta-se aquilo outro, busca-se esse, evita-se aquele, aperta-se aqui, solta-se lá, cultua-se esse, repudia-se aquele, colore-se isso, descora-se aquilo, corta-se aqui, amplia-se lá, poupa-se um, condena-se outro e tudo isso por conta da certeza oscilante, comum a quase todos! Uma certeza tão sólida que muda-se a cada instante, à medida em que surja o desconforto aflorado pela certeza mais recente.

E assim esvai-se todos os recursos e junto com eles as existências, pois a superfície é por demais sedutora! Quantos serão os que tem fôlego para mergulhar-se nas profundezas dos propósitos, no âmago das essências, no cerne das emoções, na dureza das verdades, na gênese dos sentimentos, nas sementes do amor, na grandeza da alma e na leveza do espírito? Quantos são suficientemente corajosos para olhar, não o espelho ou a balança, mas a estrutura dos próprios sentimentos? Quantos poderão, na justa medida, encarar a própria verdade, cara suja e mal lavada, para a partir daí construir a beleza inabalável?

Quantos serão aqueles que empenharam o que tinham e o que não tinham, para alcançar um sonhado estado de coisas, que ao final de tudo, para nada serviu por dentro, embora se finja uma forçada altivez por fora? Quantos não vendem a alma por uma certeza superficial? Quantos não se consolam por terem perdido um coisa, já que, em compensação, obtiveram outra, mesmo quando essa outra não era o que, em verdade, necessitavam? Quantos a obsessão não levou ao topo das conquistas e à plenitude de tudo, que no mais profundo de si, significaram um infinito nada? Uma casca maravilhosa por fora, porém profana, ao se considerar o caos sentimental que teima em existir por dentro!

O Homem não nasceu para ser superficial e não há um se quer, que tenha chegado a real felicidade, sem ter encontrado no mais profundo de si a rara grandeza de aceitar-se a si mesmo, assim como foi concebido para ser e de aprender a amar-se como verdadeiramente é, para, a partir daí, amar e aceitar a todos, como verdadeiramente são!

Quem sou eu para dizer tudo isso? Simples. Um feto.

Marcondes              26 de Setembro de 2013                                01:47

Gostou? Então compartilhe

4 comments on “Antes de ser belo saiba o que a beleza é!”

  1. Hélio Responder

    Muito bom, algo que já reflito, sobre a profundidade do que realmente vemos, devemos aprender com nossos olhos, com nossos ouvidos, devemos aprender com tudo, pois desprezando estamos diminuindo alguma coisa e, Deus soma a tudo alguma coisa!

    • Francisco C Marcondes Responder

      Prezado Hélio!
      Obrigado pelo teu comentário e pela visita ao blog.
      Refletir mais demoradamente sobre: de onde viemos, por que estamos aqui, para onde vamos, por que existimos? Pode nos ajudar a termos mais certeza sobre quais decisões tomar, para sermos mais felizes ao longo de nossas vidas!.
      Muito obrigado mais uma vez pela visita e pelo comentário!
      Grande abraço,
      Marcondes.

  2. Edilson Responder

    Mais uma vez, muito bom amigo Marcondes.

    Esse texto me lembra essa passagem.

    Jesus voltou-se então para seus discípulos: Portanto vos digo: não andeis preocupados com a vossa vida, pelo que haveis de comer; nem com o vosso corpo, pelo que haveis de vestir.
    A vida vale mais do que o sustento e o corpo mais do que as vestes.
    Considerai os corvos: eles não semeiam, nem ceifam, nem têm despensa, nem celeiro; entretanto, Deus os sustenta. Quanto mais valeis vós do que eles?
    Mas qual de vós, por mais que se preocupe, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida?
    Se vós, pois, não podeis fazer nem as mínimas coisas, por que estais preocupados com as outras?
    Considerai os lírios, como crescem; não fiam, nem tecem. Contudo, digo-vos: nem Salomão em toda a sua glória jamais se vestiu como um deles.
    Se Deus, portanto, veste assim a erva que hoje está no campo e amanhã se lança ao fogo, quanto mais a vós, homens de fé pequenina!
    Não vos inquieteis com o que haveis de comer ou beber; e não andeis com vãs preocupações.

    Ósculo Santo amigo!!!!

    Lucas 12:22-29

    • marcondes Responder

      Olá Edilson!
      Obrigado pela contribuição.
      As palavras sábias podem servir de norte às atitudes humanas.
      Há quem as conheça, porém não as seguem.
      Outros tem boa atitude por instinto e às vezes nem conhecem as palavras.
      Mas não vejo outra forma de evoluir o espírito sem a meditação sobre as boas palavras e a disciplina no cumprimento dessas.
      Grande abraço!
      Marcondes.

Deixe uma resposta