Logo-grupo-cimm

Assim, Tchecov contou toda sua angústia!

De tão disponível, tornei-me vulgar. De tão vulgar tornei-me inoportuno, como um cão sem dono. Sim! Ainda figuro na paisagem, até que me ateiem fogo ou, quem sabe, desavisado, cruze o caminho de uma bala perdida ou de um automóvel em alta velocidade. Creia! Já sonhei que era uma mecha. Todavia, se eu passar dessa dimensão para uma outra qualquer, isso, em nada alterará o cotidiano. Apenas consolidarei o que já sou a tempos, ou seja, nada; embora humano! Já não tenho nome a ser publicado nas notas de falecimento dos jornais ou mesmo quem dê pela minha falta. Claro! Nasci como todos nascem, mas faltou-me graça, porém, ora já não me faz diferença. De tudo, o que sempre me fez falta, foram ouvidos dispostos a escutar-me verdadeiramente, até que finalmente o encontrei. Obrigado amigo!

Gostou? Então compartilhe

2 comments on “Assim, Tchecov contou toda sua angústia!”

  1. Edilson Alves Responder

    Boa tarde amigo Marcondes.

    Muita vezes nos sentimos assim, um nada em meio a tudo.

    Deus te abençoe.

    Ósculo Santo

    • marcondes Responder

      Grannnnde Edulson!
      Que a paz esteja com você!
      O preconceito, muitas vezes, leva as pessoas a fecharem-se em torno de si mesmas.
      Há situações em que tudo que uma pessoa menos abastada gostaria de ter, era laguém disposta a ouvi-la.
      Um ósculo santo pra vcê tambem meu amigo!
      Marcondes.

Deixe uma resposta