Logo-grupo-cimm

O desafio da diversidade!

Tudo é estranho se foge à compreensão. A uma tribo de iguais, tudo é extravagante, se escapa dos limites instituídos, por ela mesma, para que a igualdade se estabeleça. O medo inato de enfrentar o desconhecido faz com que a semelhança se transforme em uma zona de conforto. Assim, tudo o que destoa do que for comum e convencionado, tende a ser discriminado. De modo geral, é da incompetência de lidar com a diversidade, que nasce o preconceito.  O medo de contaminar-se e ser levado à paixão pelo que houver de bom no lado diferente, leva ao desejo coletivo e alucinado de se extinguir  os divergentes.  Para muitos, tal eliminação é preferível à perda de apoio da tribo. Ocorre que a coragem de ser autêntico, pode levar alguém à divergência do que estiver estabelecido como o melhor para todos; ainda que esse melhor seja um equívoco. Alguém poderia ser condenado pelo simples fato de ser diferente? Todos vêm ao mundo por graça, e do próprio mundo herdam suas convicções. Tudo se origina no berço de boas (ou más) vindas e nas referências que estiverem mais próximas ao rebento. Sendo o homem um animal social, por essência, toda imperfeição social, de um modo ou de outro, será fruto da imaturidade da própria sociedade e vice-versa; embora nem todos aceitem esse fato. Tão importante quanto a própria liberdade de escolha é entender e respeitar o direito que cada um tem, de também escolher com independência

Gostou? Então compartilhe

8 comments on “O desafio da diversidade!”

    • Marcondes Responder

      Olá Suely!
      Obrigado pela visita e pelo comentário!
      Creio que ter consciência do que nos move contra alguma idéia diferente da nossa já é um grande passo. Refeltindo sobre si mesmo; se pode, quem sabe, chegar a esperada tolerância.
      Não penso que tolerar deva custar as próprias convivcções. Não é uma questão de anular-se, mas sim de entender o direito nosso e dos demais à diversidade.
      Mais uma vez obrigado!!
      Uma boa semana!!
      Bjs!
      Marcondes.

  1. cintya Responder

    “O tempero da diversidade faz toda a diferença.”, ouvi isso um dia. O que seria do mundo se todos tivéssemos o mesmo pensamento, gostos e atitudes? muito sem graça, sem tempero… creio que a diversidade é saudável, a rebeldia não, é necessário entender a diferença entre elas, e ter compreensão de aceitar o próximo e extrair o máximo de bom que uma pessoa diferente de mim pode me oferecer, penso que as palavra compreensão deve acompanhar a palavra diversidade. Estou com a moça nos aplausos rsrs…

    • Marcondes Responder

      Olá Cintya!
      Obrigado pela visita ao Blog, pelo comentário e pelos aplausos!
      A monotonia leva à falta de vida e de criatividade.
      Não devemos aceitar tudo, mas aprender a conviver com a diferença pode ser mais saudável do que passar a vida tentando elimina-la. Podem e devem haver deifernças nocivas, que realmente devam ser combatidas, contudo, não se pode combater algo apenas porque é diferente.
      Encontrar o ponto de equilíbrio entre o tolerável e o inaceitável é que carece de muita reflexão e sabedoria.
      Saber lidar com a diversidade exige cultura e inteligência. Concordo com a Suely quando diz que o preconceito é resultado da ignorância!
      Mais uma vez obrigado pela visita!
      Bjs!
      Marcondes.

  2. Marcelo Hirai Responder

    Muito legal mais uma vez seu texto Marcondes, obrigado!

    A Educação no sentido amplo é fundamental para muitas coisas, sem dúvida alguma. Acredito que a Educação de um povo, de uma tribo, de um grupo de pessoas qualquer se dá pela aceitação do diferente, quando o diferente aparece, é uma bela oportunidade para percebermos a Educação estabelecida neste mesmo grupo, e até a nossa própria educação se estamos neste. É mesmo muito fácil sermos “educados”, quando tudo está igual, dentro dos limites que estabelecemos.
    Com a educação vem uma porção de virtudes, como o aceite do diferente, a própria humildade, o entendimento, a boa vontade, a sinceridade, o empenho, etc.
    O Educado é capaz de entender e lidar até mesmo com o não educado ainda.

    Obrigado!

    • marcondes Responder

      Estimado Hirai!
      Obrigado pela visita e pelo comentário!
      Como você disse, onde houver um bom nível de educação, sempre, haverá cultura e havendo cultura fica mais fácil enteder que a diversidade ao invés de ser prejudicial, pode ser saudável.
      Toda vez que o homem interfere na biodiversidade, por exemplo, ele de algum modo afeta o equilíbrio do ecosistema.
      Muitas vezes o homem se julga à parte da natureza, como se tudo pudesse ter uma solução econômica ou cinentífica, como se ele fosse a única parte a ser preservada. Isso consiste em um grande equívoco, mas, em geral, o homem só se apercebe disso quando as consequências batem à sua porta.
      Muito obrigado pela visita e pela amizade!
      Grande abraço!!!
      Boa semana!!
      Marcondes.

  3. Edilson Alves Responder

    Mas uma vez, bom dia querido Marcondes.

    Foi isso que o mestre Jesus fez, foi diferente e fez a diferença, penso que isso é para nós mas do que um ensino, é um exemplo nos dois aspectos de nossa “breve” vida, precisamos fazer a diferença sendo diferentes, embora em muitos momentos não aceitos, e por outro lado precisamos aceitar que existem pessoas diferentes, mas que fazem toda a diferença, que o Senhor nos ajude nessa tão grande missão!!!

    Deus continue a te abençoar!!!

    • marcondes Responder

      Estimado Edilson!!
      Obrigado pela visita e pelo comentário!
      Ser diferente exige estar preparado também para as provações.
      Ser diferente, atrai olhares e, muitas vezes, opiniões, críticas e julgamentos precipitados.
      É por esse motivo que devemos investir na busca eterna pela sabedoria.
      Com sabedoria saberemos até que ponto resistir, até que ponto ceder.
      Gosto da tua presença!
      Sinta-se em casa.
      Obrigado e volte sempre.
      Abração!
      Marcondes.

Deixe uma resposta