Logo-grupo-cimm

Você é que é bom ou a concorrência é que é ruim?

Estamos na era da inovação. A novidade de hoje será rapidamente copiada pelos concorrentes, acelerando a necessidade de realimentar o ciclo inovador, de quem quiser manter-se na dianteira. A disponibilidade de tecnologia iguala à todos aqueles que puderem acessá-la. Contudo, pouco se pode fazer com uma nova tecnologia que, embora acessível, não possa ser dominada, absorvida e utilizada com sabedoria e eficácia. A velocidade com que surgem os novos paradigmas é maior do que a competência de muitos  em absorve-los no melhor tempo. Equipes que tenham dificuldade em se adaptar a esse mundo continuamente mutante, limitarão a velocidade de crescimento de suas empresas. Várias companhias mantêm-se na liderança de mercado, não porque sejam assim tão boas, mas apenas porque seus concorrentes são ainda piores. Equipes sedentárias, assentadas em suas áreas de conforto, conformadas com suas  glórias passadas, unem  seus elementos em torno de suas  próprias  crenças e visões, por vezes, a muito ultrapassadas e fazem com que o êxito das ações de ontem, ainda pareça o melhor para os dias de hoje. Há como que uma letargia, coletiva e involuntária, ao redor do comum, inibindo-se o desejado progresso. Entretanto, quantas vezes não ocorre de alguém, em nada melhor, a não ser em ânimo e coragem, ascender ao topo do mercado, justamente por lançar mão  de algo, que  estava ao alcance de  todos, mas foi posto de lado, porque conduziria à renúncia de um modelo instalado e já consolidado como alternativa única, mesmo quando já existia algo novo bem melhor.

Gostou? Então compartilhe

2 comments on “Você é que é bom ou a concorrência é que é ruim?”

  1. Fellipe Responder

    Muito bom, tanto pela escolha do tema quanto pelo desenvolvimento do texto.

    Realmente, as empresas mais inovadoras ou lideres de mercado, possuem funcionários brilhantes com um nível de conhecimento e atualização tecnológica facinantes.

    Este vai ser o desafio dos novos gestores de formar e incentivar o desenvolvimento intelectual e tecnológico nos colaboradores.

    Parabéns Marcondes.

Deixe uma resposta